Município de São Brás de Alportel adere ao programa “Mentores para Migrantes”

Com a assinatura do Protocolo de Colaboração com o Alto Comissariado para as Migrações, para a adesão à Rede de Mentores para Migrantes,

o Município de São Brás de Alportel deu, no passado dia 26 de novembro, mais um passo importante nas suas políticas de inclusão social e de integração de migrantes.

O Programa “Mentores para Migrantes” é uma iniciativa do Alto Comissariado para as Migrações, desenvolvida em parceria com o Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial – Grace, que visa promover e criar ligações interculturais, através do relacionamento entre os mentores voluntários e os migrantes (emigrantes e imigrantes). O programa consiste na criação de uma rede que funciona com um modelo de mentoria e de promoção do voluntariado e cidadania participativa, e pretende promover a inserção na sociedade portuguesa de imigrantes, proporcionando apoio, acompanhamento, orientação para a resolução de dificuldades ou preocupações dos migrantes. A promoção da igualdade de oportunidades, a sensibilização para a riqueza da diversidade, a promoção do voluntariado e a troca positiva de experiências são outros objetivos desta iniciativa.

“Um projeto que vem justamente ao encontro das políticas do município são-brasense para a integração e apoio à comunidade migrante e das suas boas práticas de envolvimento da comunidade no acolhimento e apoio aos cidadãos que chegam de outros pontos do pais e do mundo e que em São Brás de Alportel se devem sentir em casa.”

Com estas palavras, a Vice-Presidente da Camara Municipal de São Brás de Alportel, Marlene Guerreiro dava início à Sessão Pública de Assinatura do protocolo de colaboração que teve lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal, no passado dia 26 de novembro.

A Vice-Presidente apresentou os eixos principais da política municipal para a integração da comunidade migrante, que é coordenada pelo Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM), enunciando os muitos projetos, programas e iniciativa que são desenvolvidos no seio do Plano Municipal para a Integração de Migrantes, como sejam o Provedor do Cidadão Estrangeiro, a Coluna Intercultural no jornal local, a realização da Quinzena e do Mercadinho Intercultural, o Kit Novo Residente, e todo um conjunto de dinâmicas vividas e participadas pela comunidade. Referiu ainda a autarca o extraordinário trabalho que é desenvolvido pelo Grupo de Amigos do Museu do Traje de São Brás de Alportel, verdadeira “embaixada intercultural” que é composto por diversas nacionalidades, albergando no seu seio entre muitas outras iniciativas um Grupo Coral Multilingue; um Grupo de Música Tradicional Ucraniana e um Grupo de Teatro Internacional!

Em São Brás de Alportel, mais de 10% dos residentes são cidadãos oriundos de mais de 50 diferentes nacionalidades, que escolheram São Brás de Alportel para viver! Uma presença que, segundo a Marlene Guerreiro, se tem revelado enriquecedora para o concelho tanto ao nível da economia local como em termos culturais e comunitários.

Após conhecer os vários projetos em curso no concelho, a Vogal do Conselho Diretivo do Alto Comissariado para as Migrações (ACM), Romualda Fernandes, congratulou o Município de São Brás de Alportel por promover uma integração natural dos seus migrantes. Para aquela representante do ACM, o trabalho realizado no concelho é, “mais do que uma política, é uma atitude do Município e da comunidade”.

Na sessão marcaram presença cidadãos são-brasenses, de diversas nacionalidades, representantes de uma rede de voluntários para a integração de migrantes, criada no Âmbito da elaboração do Plano Municipal para a Integração de Imigrantes.

© 2019 AMAL