Município de Faro lança mobilidade partilhada

Faro apresentou no dia 11 de fevereiro diversas medidas para a mobilidade sustentada e inclusão de novos meios suaves de transporte nos hábitos diários da comunidade local.


O primeiro foi a subscrição da carta de princípios da “mobilidade partilhada para cidades humanas”, um documento elaborado por um conjunto de ONG’s com o intuito de comprometer os decisores locais com o respeito pelo meio-ambiente, a mobilidade suave, a acessibilidade pública e a conectividade entre os subsistemas. Faro tornou-se assim a primeira cidade da Península Ibérica a subscrever este acordo global, o que foi efusivamente saudado na comunicação feita à distância pela guru mundial da mobilidade partilhada e “mãe espiritual” desta carta, Robin Chase.

Seguiu-se a comunicação Infraestrutura de Mobilidade Ciclável de Faro, cujas prioridades de investimento foram apresentadas pela Vereadora do pelouro, Sophie Matias. Com a apresentação da infraestrutura, ainda eminentemente urbana, ficou a garantia de que, já este ano, a cidade receberá consideráveis investimentos nesta rede amiga dos modos suaves.

Mas para utilizar os subsistemas de transporte partilhado e esta rede de mobilidade, é preciso que a comunidade esteja acordada para a questão e motivada para imprimir essa dinâmica. Foi justamente a pensar nisso que, em seguida, a Universidade do Algarve manifestou o seu interesse e disponibilidade para colaborar e o Município assinou um protocolo de colaboração com a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores da Bicicleta, entidades que representam um grande universo potencial de utilizadores destes modos suaves.

E como se fosse pouco, o dia ficou ainda marcado pelo arranque experimental da primeira operação com uma plataforma de trotinetes partilhadas. Para já, serão 75 veículos, a distribuir por 10 locais estratégicos dentro da cidade – os hotspots – onde os utilizadores poderão levantar ou deixar a trotinete elétrica. Para já, o sistema arranca com a plataforma “VOI”, estando o Município em articulação com a “Flash”, a “TIER Mobility” e a “LIME” para entrarem em funcionamento em breve.

Com a adesão esperada, a expectativa é de que estas operações comecem já a dar importante contributo para um futuro mais livre da emissão de gases com efeito de estufa e para o desenvolvimento de uma cidade que se quer, afinal, mais amiga das pessoas do que das viaturas.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Rogério Bacalhau, foi um dia determinante para Faro, por ser “simbólico de uma determinação que temos em ver o nosso sistema de mobilidade evoluir no sentido da sustentabilidade, eficácia, acessibilidade e segurança, tirando partido das oportunidades que decorrem das recentes evoluções em termos de tecnologia, negócio, procura e governança”.

Fonte: CM Faro

Municípios

© 2019 AMAL